Voando livre no por do sol - Pedra da Gávea - verão 2014

Rio de Janeiro , 3a feira - 28 de janeiro de 2014

Olá galera do SUP ,
Atualmente eu tenho dividido o meu tempo entre as aulas, passeios e travessias de SUP, e os voos duplos panorâmicos de instrução
com asa delta na Pedra Bonita - que certamente é um dos melhores lugares para a pratica do voo livre no mundo .
Por isso hoje eu quero compartilhar com vcs um pouco dessa experiencia maravilhosa, postando aqui as fotos desse voo de ontem no pôr do sol de verão, com a minha sortuda aluna Raiza ... Essas imagens na postagem abaixo falam mais do que qualquer palavra !

sábado, 13 de março de 2010

RicoSurf - Sua onda começa aqui: Notícias de Surf, Longboard, Bodyboard, Standup, Surf feminino, Entrevistas e esportes radicais.

RicoSurf - Sua onda começa aqui: Notícias de Surf, Longboard, Bodyboard, Standup, Surf feminino, Entrevistas e esportes radicais.

:: 12/3/2010 - Rosaldo Cavalcanti - Ataques de tubarão crescem na Austrália


De acordo com as estatísticas do ‘Shark Attack File’, o número de ataques de tubarão aumentou na Austrália no ano passado.

Em 2009 foram registrados 20 ataques de tubarões na costa australiana. Um número maior do que o reportado nos anos anteriores. Em 2008 foram 12 ataques, enquanto 13 ocorreram em 2007.

Enquanto isso, nos EUA os casos de ataques de tubarões vêm diminuindo. Porém, de acordo com a ‘University of Florida‘, os EUA ainda são o país com o maior número de ataques registrados em todo o mundo. Ou seja, os americanos continuam sendo as maiores vítimas dos tubarões.

Segundo George Burgess, curador do ‘International Shark Attack File’, da ‘University of Florida’, o número de ataques nos EUA diminuíram de 41, em 2008, para 28, no ano passado.

Há cerca de um mês, um kite surfer de 38 anos foi atacado e morto por um tubarão em Stuart Beach, na Florida. Foi o primeiro caso de ataque fatal na Florida nos últimos cinco anos.

Em 2009 ocorreram 61 ataques em volta do mundo. Um número um pouco maior do que o registrado em 2008, quando ocorreram 60 casos de ataques. Dos 61 ataques registrados em 2009, 28 deles aconteceram nos EUA. Outros 20 na Austrália e apenas seis na África do Sul. Os demais foram reportados no Egito, Equador, Indonésia, Moçambique, Nova Caledônia e no Vietnam.

Em 2009, cinco pessoas morreram em consequência de ataques de tubarões, contra quatro no ano anterior. Com exceção de um caso fatal ocorrido na Nova Caledônia, que fica no sudoeste do oceano Pacífico, as demais fatalidades foram reportadas na África do Sul, onde são encontrados os tubarões brancos (Great whites), conhecidos por seu enorme tamanho – podem chegar até os 7 metros de comprimentos e pesar mais de 3 toneladas - comportamento agressivo e por eventualmente atacar os seres humanos. Uma das vítimas estava praticando surf de peito, enquanto outra estava apenas nadando no mar. As outras três estavam surfando.

Segundo Burgess, os surfistas são as maiores vítimas dos ataques de tubarão. Não foi por acaso que mais da metade dos ataques registrados tiveram surfistas como alvos.

O estudo também revelou que cada vez menos pessoas estão morrendo em consequência de ataques de tubarão. No século passado, cerca de 60% dos ataques eram fatais. Mas entre os anos 2000 e 2010, apenas 7% dos seres humanos atacados morreram. Segundo Burgess, “a evolução da medicina e o atendimento rápido às vítimas explicam o número decrescente de casos fatais”.

Ainda segundo Burgess, "o fato é que a maioria dos ataques de tubarão não causa a morte da vítima. Em geral, eles se parecem mais com um ataque de cachorro, do tipo pitbull, do que a de um tubarão como aquele do filme ‘Jaws’, de Steven Spielberg”.

Apesar do número de ataques nos EUA ter diminuído nos últimos três anos, isto ainda não pode significar que esta é uma tendência para os próximos anos. Na África do Sul, por exemplo, em 2009 ocorreram seis ataques, contra nenhum caso em 2008 e dois em 2007. Ou seja, o número de ataques na África do Sul aumentou nos últimos dois anos.

O fato é que houve um aumento no número de ataques nas últimas duas décadas. Porém, os estudiosos do assunto atribuem este aumento a uma melhora no registro dos ataques.

George Burgess revelou que uma das maneiras de diminuir a chance de ser atacado por um tubarão é evitar estar no mar de manhã cedo e no final da tarde, períodos nos quais são maiores as chances de ocorrer um ataque.

Outra dica é evitar entrar sozinho no mar. “Existe uma razão pela qual os peixes nadam em cardumes, os pássaros voam em bandos e os antílopes são vistos em grandes números nas savanas africanas. É como se um estivesse protegendo o outro. No mar, os seres humanos devem adotar uma postura semelhante e jamais ficar sozinho na água. Principalmente em lugares desertos e famosos pela presença de tubarões”, explica George Burgess.

Abraço e boas ondas,
Rosaldo cavalcanti

Ricosurf.com / Por Rosaldo Cavalcanti

Nenhum comentário:

Postar um comentário